Nascemos com o propósito de apoiar a atuação estratégica de entidades de referência voltadas para o fomento das cadeias produtivas da sociobiodiversidade. Por meio de um esforço coletivo, inteligente e coordenado, o Humanize estimula, também, as ações de inovação do setor público.

Em todas as frentes em que atuamos, nosso objetivo é contribuir para o desenvolvimento sustentável e a geração de renda, firmando alianças que incentivem o empreendedorismo inclusivo, o acesso ao mercado e o empoderamento de comunidades e cidadãos. Para nós, inovar é unir propostas e crescer é compartilhar caminhos sustentáveis.

Histórico

O Instituto Humanize foi criado em 2017 para administrar o portfólio de Investimento Social Privado (ISP) de seus filantropos, José Roberto Marinho e família – que já vinham, desde 2011, apoiando um conjunto de iniciativas como o Projeto Sertões, voltado ao fortalecimento de Unidades de Conservação e ao desenvolvimento das cadeias de produtos da sociobiodiversidade no Cerrado (no Mosaico de Áreas Protegidas Sertão Veredas Peruaçu).

A diversificação do portfólio se daria a partir de 2015, com a inclusão de novos temas: educação, gestão pública, desenvolvimento social, cultura, qualificação profissional, entre outros.

Hoje, o Humanize trabalha com dezenas de institutos, fundações e entidades privadas, além do setor público, universidades e Organizações da Sociedade Civil (OSCs), e segue desenhando trajetórias para que os investimentos sociais gerem transformações disruptivas. Ao longo desses anos, as soluções encontradas se devem às alianças firmadas e à convicção de que juntos vamos mais longe.

  • Início do ISP com o Projeto Sertões (WWF), voltado às cadeias
    de produtos da sociobiodiversidade no Cerrado.

  • Início de apoios em Paraty (RJ), com o primeiro aporte ao projeto
    Parceiros da Educação.

  • Criação do Programa Juntos: início do ISP em gestão pública.

  • Início do ISP no território do Pará, com o projeto Pará Sustentável.

  • Início do ISP na Bahia, com o projeto Parques para Prosperar (CI).

  • Início do portfólio de empreendedorismo, com o projeto do
    Centro de Empreendedorismo da Amazônia.

  • Instituto Humanize é criado para administrar o portfólio de
    Investimento Social Privado de seus filantropos.

  • – Transição do portfólio do ISP e desenvolvimento da estratégia do IH, cujas principais causas são sustentabilidade e geração de renda.

    – Criação dos 3 programas: Uso Sustentável; Empreendedorismo e Negócios de Impacto Socioambiental; e Gestão Pública.

    – Inovação no conceito de parceria e cofinanciamento, com a criação da Aliança para Lideranças de Impacto no Setor Público e no Terceiro Setor, formada por Fundação Brava, Fundação Lemann, República.org e Humanize.

  • – Criação de um programa para fortalecimento e desenvolvimento institucional das Organizações da Sociedade Civil.

    – Alavancagem de 65% no investimento em projetos com parcerias.

    – Fecha o ano com 69 projetos ativos e 14 alianças em diferentes fases de implementação.

  • Estruturação de pelo menos cinco mecanismos blended finance para as cadeias da sociobiodiversidade nos territórios prioritários do Humanize.

Foto: Flavio Forner

Como atuamos

Nosso papel é o identificar oportunidades de ação em busca de soluções criativas, facilitar encontros e orquestrar alianças, visando o fortalecimento dos atores intermediários e o desenvolvimento do sistema de Negócios de Impacto Socioambiental (NISA). Atuamos como “hub” em prol do desenvolvimento de capacidades locais relacionadas às cadeias de produtos da sociobiodiversidade e aos negócios inclusivos e de impacto socioambiental, a partir de territórios prioritários, onde operamos de forma sistêmica. Além disso, estimulamos e viabilizamos inovações no setor público.

Foto: Tomas Hajek

Programas, territórios e cadeias

O Humanize foca sua atuação nos programas Uso Sustentável, Empreendedorismo e NISA e Gestão Pública – e também nos temas Educação e Desenvolvimento Institucional.

Incentivamos as cadeias e produtos da sociobiodiversidade da pesca, do cacau, do mel e de sementes para que elas possam garantir a geração de renda e o uso sustentável dos recursos naturais para extrativistas, agroextrativistas e pequenos produtores dos territórios prioritários – Sul e extremo Sul da Bahia, Sudeste e Salgado paraense, Rio de Janeiro e Cerrado.

Também atuamos com o fortalecimento e desenvolvimento institucional das Organizações da Sociedade Civil. A ideia é apoiar lideranças e instituições com foco em quatro pilares: visão sistêmica, capacidade técnica, planejamento estratégico e gestão.

Nosso time

José Roberto Marinho

Presidente

Georgia Pessoa

Diretora Executiva

Ana Carolina Szklo

Gerente de Sustentabilidade

Gláucia Macedo

Gerente de Gestão
Pública

Camila Castro

Gerente de Operações
e Processos

André Luiz Pinto

Gerente de Desenvolvimento
Institucional e Parcerias

Claudia Rosa

Analista de Projetos

Diego Bielinski

Analista de Projetos e Operações

Luana Godinho

Analista de Projetos

Eduarda Thurler

Analista de Projetos

Joice Garcia

Analista de Projetos

Rafaella Lopes

Analista de Projetos

Isabel Bastos

Secretária Executiva

Celeste Pereira

Secretária Executiva

Carolina Freitas

Assistente de Projetos (Trainee)

Vitor Babilônia

Assistente de Projetos (Trainee)

Francisco Veras

Estagiário de Projetos
e Operações

Nossos parceiros

Atuar em parceria é premissa do Instituto Humanize. Acreditamos que o trabalho articulado e próximo com organizações da sociedade civil, setor público, agências multilaterais, empresas e outras filantropias permite o aprendizado coletivo, a transferência de conhecimento, o acompanhamento de tendências, a disseminação de novas e boas práticas e o desenvolvimento dos territórios em que atuamos.

Classificamos os parceiros em categorias, dentre os quais se destacam: cofinanciadores, alianças, implementadores e articuladores. Nessa classificação incluímos OSCs, universidades, instituições de ensino, associações de classe, cooperativas de produção, governos, setor privado, agências multilaterais e outras filantropias (fundações e institutos).