Humanize

Role a página para
saber mais

Fortalecimento institucional como ponto de partida para otimizar recursos e gerar transformações contínuas

Acreditamos que processos de desenvolvimento institucional precisam tratar de questões especificas em cada organização

O Desenvolvimento Institucional de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) é um reflexo de nossa forma de atuação colaborativa e do nosso entendimento de que para superar os desafios do país é essencial apoiar, da porta para dentro, as instituições que atuam movimentando as causas que apoiamos.

Trata-se de um esforço sistematizado pensado para dar escala às ações que desenvolvemos e financiamos em parceria. Nesse sentido, desde 2018 o humanize implementa um programa transversal e integrado às áreas de Sustentabilidade e Gestão Pública, com a proposta de contribuir para o fortalecimento do ecossistema das OSCs.

Trabalhamos com mais de 90 organizações parceiras que nos ajudam a potencializar a repercussão positiva das iniciativas do nosso portfólio. Fortalecendo o recorte institucional, nos dedicamos para contribuir com a amplificação do aprendizado e com a capacidade de geração de impacto.

Portfólio

Parte do portfólio do humanize aponta para a importância de conexões em rede com o intuito de alcançar resultados satisfatórios e contribuir com o desenvolvimento institucional das OSCs. Para movimentar o programa que trata do tema, o Instituto tem a visão de um Terceiro Setor proativo, influenciador e inovador – que colabora para a implementação de políticas públicas.

Em um cenário em que grande parte das organizações não apresenta atividade articulada e não sinaliza robustez em sua atuação, surge a necessidade de desenvolver recortes como competências e habilidades. Entendemos que diante do enfrentamento de obstáculos, como o financiamento de projetos e sustentabilidade a longo prazo, as OSCs precisam atuar de forma estratégica e sistêmica; otimizando recursos e ampliando o alcance dos resultados.

No ciclo 2019-2021, essa recente área do humanize marcou seu portfólio com mais de 20 projetos, todos endereçando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de alguma forma — principalmente o objetivo 16 (Paz, Justiça e Instituições Eficazes). Por trás dos números está a ideia de que os processos de desenvolvimento institucional precisam tratar de questões especificas em cada organização, o que aumenta a possibilidade de resultados efetivos.

Se estruturando a partir dessa consciência, no triênio 2019-2021, essa área do humanize alcançou, por meio de um trabalho articulada em rede, resultados promissores – como 150 organizações atendidas e mais de 250 lideranças e membros de equipes seniores de OSCs formadas e engajadas no recorte de desenvolvimento institucional das OSCs que integram.

Um dos casos inspiradores dentro do portfólio é o apoio ao desenvolvimento institucional do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE). Nesse caso, o foco se revela na contribuição para a estruturação do Planejamento Estratégico considerando o ciclo 2020-2025.

Iniciativas como esta do Instituto humanize, de apoiar o desenvolvimento institucional de ONGs, é fundamental para o crescimento e desenvolvimento do setor no Brasil. Em nosso caso, o apoio do Ih contribuiu com a revisão do nosso plano estratégico e com a formação da nossa equipe, nos fortalecendo para que possamos gerar impacto social e ambiental positivo em escala

Fernanda Bombardi, Gerente Executiva do ICE

No ICE, o processo e desenvolvimento institucional que apoiamos enfrentou desafios. Um desses obstáculos foi  a necessidade de promover uma vivência que possibilitasse a coconstrução de uma Teoria de Mudança a partir de demandas efetivas do ecossistema, incluindo intervenções com características inovadoras e com potencial de provocar transformação no campo de negócios e investimento de impacto.

Considerando diversos obstáculos, foi realizado um trabalho de cerca de quatro meses – o que passou por workshops virtuais com o time do ICE, além de uma escuta minuciosa para entender a jornada da organização até o momento e as ambições para o futuro. Nesse sentido, foi aplicada uma metodologia que provocou o levantamento e a interpretação de informações que têm força para alcançar os objetivos da organização. O método percorreu seis etapas: iniciação, exploração, interpretação, visualização, iteração e evolução.

Como resultado, o ICE chegou ao final de 2020 com uma Teoria de Mudança consistente, que irá guiar os próximos passos e as atividades da organização até 2025, com foco na visão de transformação que querem atingir. O novo cenário tem quatro focos estratégicos, que se conectam aos programas do ICE. Eles são:

1. Mobilização de atores e redes chave
Atrair o interesse de lideranças que incorporem a agenda de impacto dentro de suas organizações e redes – assumindo compromissos estruturantes.

2. Influência sobre gestores e investidores
Mobilizar mais capital para o ecossistema e estimular a criação de produtos financeiros que atraiam investidores, acionistas, fundações e governo – trazendo o impacto para o centro de suas decisões.

3. Infraestrutura de apoio
Fortalecer um ambiente institucional favorável (cultura, legislação e regulamentação), além de infraestrutura com redes, plataformas de formação, conteúdo de referência e condições para replicação de boas práticas.

4. Inovação para transformação social
Gerar repertórios e evidências que comuniquem as inovações do ecossistema e seu poder transformador, engajando cada vez mais atores estratégicos.

Do lado do humanize, o processo percorrido pelo ICE configura um caso de sucesso – que nos inspira a continuar trabalhando em rede para fortalecer o ecossistema das OSCs brasileiras.

Veja nossos casos