Nascemos com o propósito de apoiar a atuação estratégica de entidades de referência voltadas para o fomento das cadeias produtivas da sociobiodiversidade. Por meio de um esforço coletivo, inteligente e coordenado, o Humanize estimula, também, as ações de inovação do setor público.

Em todas as frentes em que atuamos, nosso objetivo é contribuir para o desenvolvimento sustentável e a geração de renda, firmando alianças que incentivem o empreendedorismo inclusivo, o acesso ao mercado e o empoderamento de comunidades e cidadãos. Para nós, inovar é unir propostas e crescer é compartilhar caminhos sustentáveis.

Histórico

O Instituto Humanize foi criado em 2017 para administrar o portfólio de Investimento Social Privado (ISP) de seus filantropos, José Roberto Marinho e família – que já vinham, desde 2011, apoiando um conjunto de iniciativas como o Projeto Sertões, voltado ao fortalecimento de Unidades de Conservação e ao desenvolvimento das cadeias de produtos da sociobiodiversidade no Cerrado (no Mosaico de Áreas Protegidas Sertão Veredas Peruaçu).

A diversificação do portfólio se daria a partir de 2015, com a inclusão de novos temas: educação, gestão pública, desenvolvimento social, cultura, qualificação profissional, entre outros.

Hoje, o Humanize trabalha com dezenas de institutos, fundações e entidades privadas, além do setor público, universidades e Organizações da Sociedade Civil (OSCs), e segue desenhando trajetórias para que os investimentos sociais gerem transformações disruptivas. Ao longo desses anos, as soluções encontradas se devem às alianças firmadas e à convicção de que juntos vamos mais longe.

  • Início do ISP com o Projeto Sertões (WWF), voltado às cadeias
    de produtos da sociobiodiversidade no Cerrado.

  • Início de apoios em Paraty (RJ), com o primeiro aporte ao projeto
    Parceiros da Educação.

  • Criação do Programa Juntos: início do ISP em gestão pública.

  • Início do ISP no território do Pará, com o projeto Pará Sustentável.

  • Início do ISP na Bahia, com o projeto Parques para Prosperar (CI).

  • Início do portfólio de empreendedorismo, com o projeto do
    Centro de Empreendedorismo da Amazônia.

  • Instituto Humanize é criado para administrar o portfólio de
    Investimento Social Privado de seus filantropos.

  • – Transição do portfólio do ISP e desenvolvimento da estratégia do IH, cujas principais causas são sustentabilidade e geração de renda.

    – Criação dos 3 programas: Uso Sustentável; Empreendedorismo e Negócios de Impacto Socioambiental; e Gestão Pública.

    – Inovação no conceito de parceria e cofinanciamento, com a criação da Aliança para Lideranças de Impacto no Setor Público e no Terceiro Setor, formada por Fundação Brava, Fundação Lemann, República.org e Humanize.

  • – Criação de um programa para fortalecimento e desenvolvimento institucional das Organizações da Sociedade Civil.

    – Alavancagem de 65% no investimento em projetos com parcerias.

    – Fecha o ano com 69 projetos ativos e 14 alianças em diferentes fases de implementação.

  • Estruturação de pelo menos cinco mecanismos blended finance para as cadeias da sociobiodiversidade nos territórios prioritários do Humanize.

Foto: Flavio Forner

Como atuamos

Nosso papel é o identificar oportunidades de ação em busca de soluções criativas, facilitar encontros e orquestrar alianças, visando o fortalecimento dos atores intermediários e o desenvolvimento do sistema de Negócios de Impacto Socioambiental (NISA). Atuamos como “hub” em prol do desenvolvimento de capacidades locais relacionadas às cadeias de produtos da sociobiodiversidade e aos negócios inclusivos e de impacto socioambiental, a partir de territórios prioritários, onde operamos de forma sistêmica. Além disso, estimulamos e viabilizamos inovações no setor público.

Foto: Tomas Hajek

Programas, territórios e cadeias

O Humanize foca sua atuação nos programas Uso Sustentável, Empreendedorismo e NISA e Gestão Pública – e também nos temas Educação e Desenvolvimento Institucional.

Incentivamos as cadeias e produtos da sociobiodiversidade da pesca, do cacau, do mel e de sementes para que elas possam garantir a geração de renda e o uso sustentável dos recursos naturais para extrativistas, agroextrativistas e pequenos produtores dos territórios prioritários – Sul e extremo Sul da Bahia, Sudeste e Salgado paraense, Rio de Janeiro e Cerrado.

Também atuamos com o fortalecimento e desenvolvimento institucional das Organizações da Sociedade Civil. A ideia é apoiar lideranças e instituições com foco em quatro pilares: visão sistêmica, capacidade técnica, planejamento estratégico e gestão.

Nosso time

José Roberto Marinho

Presidente

Georgia Pessoa

Diretora Executiva

Ana Carolina Szklo

Gerente de Sustentabilidade
e Comunicação

Gláucia Macedo

Gerente de Gestão
Pública

André Luiz Pinto

Gerente de Relações
Institucionais e Parcerias

Camila Castro

Gerente de Projetos

Claudia Rosa

Analista de Projetos

Diego Bielinski

Analista de Projetos e Operações

Luana Godinho

Analista de Projetos

Eduarda Thurler

Analista de Projetos

Joice Garcia

Analista de Projetos

Rafaella Lopes

Analista de Projetos

Isabel Bastos

Secretária Executiva
Relações Institucionais
e Gestão dos Escritórios

Celeste Pereira

Secretária Executiva

Carolina Freitas

Assistente de Projetos (Trainee)

Vitor Babilônia

Assistente de Projetos (Trainee)

Francisco Veras

Assistente de Projetos (Trainee)

Nossos parceiros

Atuar em parceria é premissa do Instituto Humanize. Acreditamos que o trabalho articulado e próximo com organizações da sociedade civil, setor público, agências multilaterais, empresas e outras filantropias permite o aprendizado coletivo, a transferência de conhecimento, o acompanhamento de tendências, a disseminação de novas e boas práticas e o desenvolvimento dos territórios em que atuamos.

Classificamos os parceiros em categorias, dentre os quais se destacam: cofinanciadores, alianças, implementadores e articuladores. Nessa classificação incluímos OSCs, universidades, instituições de ensino, associações de classe, cooperativas de produção, governos, setor privado, agências multilaterais e outras filantropias (fundações e institutos).